ANIME | Elfen Lied (エルフェンリート)



AVISO: ESSE POST CONTÉM GIFS ALTAMENTE SANGRENTOS OU DE TEOR ADULTO

E eu aqui inocentemente achando que Death Note era um anime violento. Death Note é um anime kawaii desu perto de Elfen Lied. 

Uma coisa importante a se dizer,é que Elfen Lied é um anime para adultos. Violência extrema, umas meninas peladas, pedofilia. Só um avisinho.

Não me arrependi de ver. Logo na abertura, uma operazinha em latim, que combinou perfeitamente, deu um ar melancólico e sinistro, combinado com as cenas de altamente artísticas, baseadas nas obras de Gustav Klimt. Já começou bem.



Logo nos primeiros 5 minutos de anime 8495405485895 pessoas morreram. Toma essa Kira. A protagonista Lucy foge do cativeiro onde esteve presa por anos e caminha calmamente até a saída, matando violentamente todos os que tentam detê-la. Durante a fuga, foi atingida na cabeça e caindo no mar e ao chegar na costa é encontrada por Kouta, nua, com amnésia, sendo "Nyuu" a única palavra que conseguia dizer. Ele e sua prima Yuka, a ajudam, não sabendo da verdadeira personalidade de Nyuu.



Elfen Lied (エルフェンリート) é uma série de mangás, que foi adaptada para um anime de 13 episódios. O anime teve início antes de o mangá estar completo; por isso algumas coisas são diferentes entre os dois, e eu quero muito ler esse mangá também. Também existe uma OVA, cuja história se encaixa entre os episódios 10 e 11 do anime.




Elfen Lied fala sobre Dicornius, uma espécie mutante parecida com os humanos na forma, mas tendo dois chifres na cabeça e pelos vetores, braços transparentes controlados mentalmente que têm o poder de manipular objetos e arrancar cabeças dentro do alcance de 2 metros. 

A polêmica é, ela são más ou esse comportamento agressivo nada mais é que a reação natural aos abusos sofridos por elas desde o nascimento? Acho que a segunda opção.

As diclonius, quando não sacrificadas logo ao nascerem, são levadas para o laboratório e lá são submetidas a teste psicológicos, químicos, físicos, até a morte. Enquanto vivas, são mantidas isoladas e presas. Se eu fosse Diclonius eu também mataria geral.

O fato dos personagens serem muito jovens adolescentes/crianças, torna tudo ainda mais impactante. O legal é que o cenário é bem colorido apesar da história pesada, e o traço é bem fofinho, principalmente nas Diclonius. Um exemplo, 'os chifres' das diclonius mais se parecem orelhas de gato que chifres propriamente ditos, isso misturado com a aparência delas nos faz esquecer que eles são maquinas de matar.


Vale lembrar que as cenas fortes não são apenas de morte, um exemplo são os flashbacks de Mayu, vítima de pedofilia, e a morte do cãozinho de Lucy.

ALERTA DE SPOILER

Coisas que eu não entendi:



1. Os braços e pernas postiços de Nana (que foram arrancados por Lucy) são perfeitos até demais. Ela tem uma facilidade gigantesca de movimentação, como se fossem braços e pernas de carne e osso, as próteses sãos atingidas por tiros e na cena seguintes estão intactas.


2. Bando, o assassino contratado para matar Lucy, também teve os braços e pernas arrancados seus olhos furados por ela, Mas volta enxergando, cheio de próteses, batendo e ameaçando a todos como se nada tivesse acontecido.

Comentários